Deliway

6 passos de como preparar um cardápio para restaurante

Está entrando no mercado do ramo alimentício e não sabe por onde começar na criação do cardápio? Preparamos 6 dicas imperdíveis para ajudá-lo nessa missão!

Preparar cardápio restaurante

O cardápio é o responsável pela exposição dos pratos aos clientes, trabalhando como um dos pilares fundamentais para o funcionamento e sucesso do restaurante.

Desde a escolha do que servir até como apresentar ao cliente os pratos ofertados pelo estabelecimento, cada detalhe deve ser pensado com objetividade, clareza e beleza, tornando o seu cardápio uma ferramenta poderosa de lucros.

Se você está começando agora o seu negócio no ramo alimentício e está com dúvida de como preparar um cardápio para restaurante, fique tranquilo, pois temos 6 dicas que ajudarão você a criar o menu ideal.

Vamos lá?

1.  Perfil do público e informações demográficas

Ao iniciar os preparos do cardápio do seu restaurante, é necessário pensar no público que você deseja atingir.

Para essa escolha, também é importante pensar nos dados demográficos da região em que se localiza o seu negócio. Observe quais outros restaurantes existem na região para se basear, por exemplo.

Assim, ficará mais fácil atingir o público-alvo que deseja, no mercado em que você está presente.

2.  Categorias no cardápio

Na hora da elaboração de categorias do cardápio, tente separá-las por páginas individuais e oferecer a mesma média de número de pratos por categoria, assim o cliente terá opções mais equilibradas e fica mais fácil para ele acertar o pedido.

Caso o seu restaurante possua muitas categorias, tente dividi-lo em subcategorias, por exemplo, nas bebidas, separando-as por:

  • fermentadas;
  • destiladas;
  • drinks, e
  • refrigerantes.

Lembre-se de criar categorias à la carte e com sobremesas com pratos para alérgicos, intolerantes à lactose, vegetarianos, veganos e fitness, pois há necessidade de atender todos os gostos, se você deseja faturar mais.

Se as receitas forem bem pensadas, gostosas e diferentes, com certeza o prato de exceção atingirá também os clientes que não se encaixam nessas categorias, então não se preocupe.

As descrições do cardápio precisam ser diretas, honestas e criativas, contendo a mesma média de número de palavras e devendo bem distribuídas, para que o cardápio fique harmonioso.

Uma dica que é muito legal é a criação da categoria de “sugestão do chef”, pois chama atenção e é a ideal para vender de forma certeira, principalmente as suas novidades.

Então, referente às categorias básicas de um cardápio, ficamos assim:

  • entradas;
  • pratos principais (inclui a sugestão do chef, opcional);
  • sobremesas; e
  • bebidas.

3.  Promoções no cardápio

Se o seu cardápio é físico, de papel ou plástico, realizar promoções dentro do cardápio fica um pouco mais difícil, pois exige modificações.

Uma opção para esse caso é fazer um folheto à parte ou destacar a promoção/oferta de outra forma, por exemplo disponibilizando algum quadro no restaurante, balcão de atendimento ou mesmo deixando nas mãos do garçom, sendo sua responsabilidade avisar cada cliente, mesa por mesa.

Uma dica extremamente valiosa, que pode solucionar essa questão, é fazer o uso de cardápio digital, pois ele é facilmente customizável, e em tempo real, sendo uma excelente forma de destacar suas promoções, chamando mais ainda a atenção dos consumidores.

Abaixo explicaremos melhor como funciona!

4.  Combos no cardápio

Toda ação de um restaurante, principalmente no que diz respeito ao cardápio, deve ser estruturada pensando no público-alvo.

Se você deseja ter em seu menu combos para oferecer, precisa identificar primeiro quais são as maiores necessidades do seu cliente. Perguntar para si quais são os tipos de comidas favoritos do seu público e quanto ele comumente investe, ajudará na criação.

Podem existir, por exemplo, combos temporários - semanais ou mensais - ou fixos, que muitas vezes viram os coringas de determinados clientes.

Esse tipo de oferta costuma se localizar no fim do cardápio, principalmente quando não há a intenção de fazer do combo a principal atração. Destacá-lo, como as promoções, pode ser uma boa opção também.

Lembre-se de ter certeza que esse tipo de oferta combina com o que idealizou para o seu negócio e se irá atingir de forma positiva o perfil do público que escolheu.

Dica extra: estratégia para venda de combos

Ao oferecer opções de combos, também é possível aplicar o up selling e cross selling no cardápio. Up selling nada mais é do que vender um produto superior ao escolhido pelo cliente, enquanto o cross selling, é vender produtos que se complementam.

Por exemplo, no up selling, o cliente escolhe um brownie de sobremesa, porém, por um determinado valor, pode-se optar pelo brownie com sorvete. Você incrementa a escolha do cliente e as chances do “sim” são maiores que o “não”, já que a ideia escolhida por ele, inicialmente, era inferior perto da oferecida.

No cross selling, podemos pensar em uma entrada que, para torná-la melhor, ficaria perfeita com um determinado drink. A combinação chama atenção e você complementa o pedido adicionando um novo item que trará melhor experiência para o consumidor e mais lucro para a empresa.

Essas são estratégias que precisam de planejamento, pois, ao oferecer essas ótimas combinações, são bem aceitas e trazem pedidos recorrentes.

5.  Precificação

Se você está começando o seu negócio agora e não tem ideia de como fazer a precificação do cardápio, saiba que existe uma regrinha simples que pode ajudá-lo. Ela é conhecida como MarkUp.

O MarkUp é um método de precificação que permite o controle do preço de venda através de um índice que, aplicado sobre o custo de um produto, determina o preço de um item para venda. Vamos a um exemplo do cálculo.

Liste os seus gastos:

  • 12% de nota fiscal;
  • 2% de taxa de cartão;
  • 20% de lucro pretendido;
  • 10% de investimento em marketing e promoções; e
  • 10% de comissão para os garçons.

O cálculo para descobrir o MarkUp seria dessa forma:

MARKUP = 100 / [100 - (12+2+20+10+10)]
MARKUP = 100/ (100 - 54)
MARKUP = 100/46
MARKUP = 2,17

Após descobrir qual é o seu MarkUp, aplique a fórmula abaixo:

Preço de venda = CUT (Custo Unitário Total) x MarkUp

Os números acima são ilustrativos para exemplo, mas, se precisar, peça ajuda ao escritório de contabilidade que cuida das finanças do seu negócio ou contrate um consultor de restaurantes que possa auxiliá-lo da melhor forma possível a atingir um valor justo para os pratos da sua empresa.

6.  Formato do cardápio

Impresso

Hoje, sabemos que um cardápio impresso pode acarretar em prejuízos, visto que, comumente é feito de papel e facilmente se rasga pelo tempo, desbota ou sofre acidentes, como algum líquido derramado ou mesmo sujeiras.

Também há a necessidade de constante encomenda por conta das atualizações no cardápio e das promoções novas. Algumas coisas mudam com frequência, como pratos, ingredientes e preços e tudo isso exige novas e constantes impressões.

Ou seja, tudo isso é custo constante, gasto que, atualmente, pode ser evitado através da modernização dos cardápios.

Se o seu negócio é pequeno e possui um menu reduzido e fixo, tudo bem, basta planejamento financeiro e constante atualização.

Digital

O cardápio digital apresenta muitos benefícios para o empreendedor, para todos que trabalham no restaurante e, também, para o cliente.

Inicialmente, podemos dizer que reduz custos, pois não necessita de tantos garçons no ambiente e nem das constantes impressões em papel, como já citamos, pois ele pode ser atualizado pela própria gerência sem necessitar pagamentos extras, além de ser um investimento a longo prazo.

Entenda outras vantagens:

  • possibilita a inclusão de outros idiomas, como inglês e espanhol, atendendo bem também aos turistas da região;
  • permite adicionar fotografias realistas dos pratos em boa resolução;
  • destaca as promoções;
  • permite ao consumidor acrescentar adicionais e exclusão de ingredientes, personalizando o pedido;
  • anula as chances de erros em função de esquecimentos e letras não legíveis dos garçons; e
  • diminui o tempo de processo dos pedidos, pois o próprio cliente pede e envia o pedido direto para a equipe na cozinha.

Muito bom, não é mesmo?

Agora que conhece os principais passos para criar o cardápio perfeito para o seu restaurante, basta usar da pesquisa, análise e criatividade para fazer do seu negócio um sucesso!

Transforme o seu cardápio em uma poderosa ferramenta de vendas

Ebook enviado com sucesso!

Agora você pode ler este ebook sempre que quiser. Agradecemos o interesse.

O que você achou do post?

2 Respostas

Deixe seu comentário