Aumente em até 40% o ticket médio do seu restaurante!

Conheça o oimenu

Conheça as tendências do food service para 2022

Se você pudesse apostar, quais tendências do food service para 2022 estariam na sua lista? Nós pesquisamos e trouxemos dicas quentinhas para você se inspirar e quem sabe implementar no seu negócio gastronômico neste ano.

Compartilhe

Tendência food service 2022

Automatização do atendimento, práticas sustentáveis, delivery, compras online e alimentação vegana e vegetariana são algumas das grandes tendências do food service para 2022.

Não tem como falar em tendências em um cenário pós-pandêmico sem falar justamente das mudanças que a pandemia trouxe para o mercado gastronômico. Foram diversos os desafios enfrentados pelas pessoas que empreendem nesse setor, que foi um dos mais afetados por esse contexto, mas o food service segue firme e forte.

Segundo dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP), aproximadamente 12 mil bares e restaurantes fecharam na cidade de São Paulo.

Por outro lado, aconteceu um aumento de 78% no número de restaurantes cadastrados em aplicativos de entrega. É por isso que estamos de olho nas tendências do food service para 2022, porque o ano promete!

Mercado de food service no Brasil: tendências

Entra ano e sai ano e gestores de bares e restaurantes precisam ter atenção às mudanças do mercado e também às preferências dos clientes. Essa é uma ótima tática para não ficar atrás da concorrência e manter o negócio ativo. Vamos conferir as principais tendências para 2022?

Automatização do atendimento

Com a pandemia, as transações sem contato estão mais populares. Por isso, essa é uma das principais tendências do food service: os totens de autoatendimento e cardápio digital estão mais fortes do que nunca. Garçons também deverão usar mais dispositivos eletrônicos, como smartphones e tablets para anotar os pedidos.

A tecnologia torna o atendimento mais prático e rápido e com certeza só tende a evoluir nos próximos anos, sem contar que limitar o contato entre consumidores e garçons ajuda a impedir a disseminação de micro-organismos como o coronavírus.

Sustentabilidade

O consumidor não quer só saber de onde o alimento que está consumindo vem, como também quer entender o impacto que esse consumo tem no meio ambiente.

O número de pessoas preocupadas com a sustentabilidade do planeta é crescente, o que leva o consumidor a ter preferência por fontes renováveis de alimentos, como os orgânicos, bem como por escolhas que colaborem para reduzir o desperdício.

Embalagens sustentáveis também entram nessa tendência. Várias empresas já estão substituindo embalagens para delivery plásticas por de papel ou feitas com apenas um tipo de matéria-prima, chamadas de monomaterial. Uma boa ideia também é pensar em embalagens que possam ser reaproveitadas ou que causem menos prejuízos ao meio ambiente.

Consumidor 5.0

Com a pandemia, também surgiu o consumidor 5.0. Esse novo consumidor é altamente conectado ao ambiente digital e realiza a maioria das suas compras de forma online. A prática, que começou por conta do isolamento social, passou a ser um hábito que merece atenção de empreendedores de todas as áreas do mercado.

A respeito disso, é fundamental pensar na integração dos serviços prestados. Os novos consumidores não têm tempo a perder. Eles fazem pedidos de forma virtual até mesmo quando decidem ir até o restaurante e desejam fazer pagamentos digitais que facilitem sua vida.

Inclusive, se são bem atendidos ou não, fazem avaliações em tempo real, de maneira digital também, por meio de redes sociais ou avaliando o local no Google, por exemplo. A percepção deles fica exposta para uma infinidade de outras pessoas que podem se basear nesses comentários para consumir (ou não) os seus produtos.

Alimentação vegetariana e vegana

É fato: segundo dados da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), em pesquisa feita em todas as regiões brasileiras, 46% dos brasileiros decidiram não comer mais carne pelo menos uma vez na semana e por vontade própria.

Se as pessoas estão comendo menos carne, isso mostra uma tendência para o aumento do consumo da culinária vegetariana e vegana, bem como flexitariana (maneirar na carne e aumentar o consumo de vegetais) e ovolactovegetariana (não comer carne, frango ou peixe, mas consumir ovos e laticínios).

Investir em um menu com alimentos orgânicos frescos e substitutos da carne pode ser uma ótima ideia para responder a essa tendência do food service para 2022.

Mas atenção: não trate os pratos voltados a esse público como dieta alternativa ou opção limitada. Eles precisam ter importância no cardápio e serem tratados como principais, nunca como secundários.

Delivery rápido e seguro

Falar que a entrega é um serviço importante para o setor de food service não é nenhuma novidade. Essa é uma exigência dos consumidores há muito tempo, mas, conforme a tecnologia evolui e os restaurantes passam a usar novos recursos, é preciso ter atenção, porque a necessidade de aprimorar o serviço cresce junto.

Você pode oferecer delivery por meio de empresas terceirizadas, atingindo uma base maior de clientes e economizando trabalho, dinheiro e tempo. Entretanto, apesar disso, ainda é preciso estar constantemente pensando em como manter a rapidez, a segurança e qualidade das entregas.

Se você não tiver essa atenção constante, entendendo como tornar esses três pontos da entrega cada vez melhores e acompanhando as tendências, sua concorrência certamente vai aproveitar a situação e passar na sua frente, o que pode trazer uma desvantagem competitiva para você.

Qual a nova tendência para food service?

Apesar de todas as tendências citadas, temos uma que deixamos para o final porque é a nossa grande aposta para 2022: as dark ou cloud kitchens.

Essa nova tendência do setor food service divide opiniões, mas é entendida como um caminho sem volta. O ramo de negócio dark kitchen busca romper a tradição dos estabelecimentos físicos tradicionais, atuando apenas com delivery.

Esse tipo de negócio tem se mostrado altamente rentável, por ser uma operação simples de montar. A estrutura da cozinha já vem pronta e quem empreende só precisa acrescentar seus funcionários, equipamentos e produtos, enquanto a dark kitchen controla o sistema de delivery da operação.

Sendo assim, vários restaurantes diferentes podem operar por meio da mesma cozinha compartilhada, mas com a finalidade de preparar pedidos apenas para delivery.

Esse conceito também permite que os operadores experimentem combinar vários tipos gastronômicos em uma única operação de cozinha. Então, para além da redução de custos, o verdadeiro fator que pode ter impulsionado essa tendência é o crescimento do mercado de entrega online, que bateu recordes na pandemia e segue presente na rotina dos consumidores.

Agora que você já teve várias inspirações para o seu negócio gastronômico com essas tendências do food service para 2022, que tal buscar implementar alguma delas no seu estabelecimento ou mesmo abrir um restaurante? Bons negócios!

 

Transforme o seu cardápio em uma poderosa ferramenta de vendas

Ebook enviado com sucesso!

Agora você pode ler este ebook sempre que quiser. Agradecemos o interesse.

Deixe seu comentário

Conheça o oimenu

Saber mais