O restaurante do futuro: Como o autoatendimento irá transformar seu restaurante

O autoatendimento é uma tendência em ascensão, mas o que esse novo sistema pode fazer para melhorar o seu restaurante?

autoatendimento em restaurantes

A tendência do autoatendimento em restaurantes e Bares só tem crescido nos últimos anos. Grandes redes como McDonalds estão investindo pesadamente na tecnologia, com planos até de lojas 100% focadas no autoatendimento em 2019.

Mas inovar não é exclusividade dos gigantes. Agora, uma variedade de totens e cardápios digitais estão disponíveis para donos de restaurante pequenos e médios experimentarem também.

O curioso é que ainda há uma resistência de certos restaurantes em aderir a novas tecnologias como essa, ora porque o investimento lhes parece alto, ora porque acham que os clientes não saberão usar, ou ainda porque acham que a forma de realizar pedidos tradicional funciona sem problemas, então para que mudar?

Porém os clientes, principalmente os mais jovens, abraçam o uso de novas tecnologias e o aumento do ticket médio após a implementação é dramático.

Então vamos analisar, ponto a ponto, como o autoatendimento irá transformar o seu restaurante!

Como funciona o autoatendimento

As opções mais comuns são de totens ou cardápios digitais.

O totem é um dispositivo que funciona como caixa e cardápio ao mesmo tempo. O cliente se aproxima, escolhe o pedido através de uma tela responsiva ao toque que mostra o cardápio inteiro, paga, e recebe uma senha com número do pedido que vai direto para a cozinha — aí é só esperar.

A única desvantagem do totem é que ainda podem haver filas dependendo do movimento e da quantidade de totens. Porém, de acordo com pesquisas, o autoatendimento no totem é até quatro vezes mais rápido que em um caixa comum.

O cardápio digital é um dispositivo que fica na mesa. O software é instalado em um tablet onde o cliente pode acessar o cardápio inteiro com direito a destaques, fotos, personalização de pedidos e muito mais. Assim como no totem, o pedido vai direto para a cozinha digitalmente e o cliente só aguarda até ficar pronto.

Cada cliente tem sua própria comanda digital, o que facilita em situações onde cada cliente quer pagar apenas o que comeu. A praticidade do cardápio digital é incomparável, pois além de nunca precisarem esperar por garçom, os clientes podem pedir assim que se sentarem na mesa. E claro, a facilidade do cardápio sempre disponível na própria mesa aumenta o ticket médio — só a mordomia de realizar um pedido dessa maneira já incita mais vendas.

Autonomia do cliente

O grande chamariz do autoatendimento é a autonomia que oferece ao cliente.

O totem é mais comum em redes de fast food, pois a forma como funciona colabora com o fluxo de pedidos nessa área — combos de fast food costumam ser grandes e satisfatórios, logo, não é tão comum que o mesmo cliente volte ao totem após usá-lo. Geralmente, o pedido é feito apenas uma vez.

Já em cardápios digitais o sistema encoraja pedidos em pequenos incrementos, pois o cardápio está na mesa com o cliente. Logo, o grupo pode pedir a refeição principal, mas à medida que permanecem no estabelecimento, continuam pedindo um refrigerante, uma porção, uma sobremesa, etc. Justamente por isso, a implementação do cardápio digital aumenta o ticket médio por si só.

Os clientes que experimentam essa autonomia não encontram uma experiência semelhante em qualquer outro lugar.

Agilidade no atendimento

Se para o cliente fica melhor, como fica para você e seu restaurante?

Como os pedidos vão direto para a cozinha de maneira digital, exclui-se a possibilidade de erros na comanda, a demora para chegar na cozinha, bilhetes perdidos, ou até mesmo confusões por causa de caligrafia ruim.

Isso significa que sua equipe de garçons pode ser mais enxuta e os recursos podem ser investidos na cozinha, onde estará a maior parte da movimentação.

Dessa forma, os garçons precisam apenas levar o pedido até as mesas, completamente livres da pressão de constantemente conferir a multidão e lembrar de pedidos no meio da correria.

Sem filas ou espera

E claro, o grande chamariz do autoatendimento: filas de espera se tornam antiquadas.

No caso dos totens ainda existem filas até um certo ponto, principalmente se só houver um totem no estabelecimento. Mas como dito anteriormente, a velocidade do atendimento é bem maior, e logo, as filas que surgirem devem se mover rápido o suficiente para não se tornarem inconvenientes.

Com cardápio digital até a fila é eliminada da equação, pois o cliente faz o pedido do conforto de sua mesa.

Sua equipe mais eficiente

Com a pressão minimizada, sua equipe pode ser enxuta sem sacrificar eficiência.

Tendo apenas que servir às mesas sem a preocupação de registrar pedidos, os garçons podem oferecer atenção personalizada a cada mesa e circular com mais calma e agilidade. Isso automaticamente faz com que a equipe se mantenha em sintonia e de bom humor mesmo em dias de muito movimento.

Personalização de pedidos

Tanto em totens quanto em cardápios digitais o cliente tem acesso a informações do estabelecimento na íntegra com direito a opções de personalização.

Na prática esse sistema oferece duas grandes vantagens:

Primeiro, o seu cardápio automaticamente cresce em valor. Com todas as combinações possíveis, você estará essencialmente oferecendo muito mais variedade do que aparenta na superfície.

E segundo, o cliente se sentirá importante. A sensação de customizar um pedido à perfeição com apenas alguns toques e poder saboreá-lo logo em seguida é incrível.

Aí reside o grande triunfo da personalização de pedidos — o cliente sente que a comida foi feita para si. Não se trata mais de uma receita padrão que tem o mesmo gosto em qualquer lugar do mundo, pois no momento que o cliente personaliza, o prato é dele.

E claro, há muita hesitação em oferecer pedidos com opções customizáveis porque sempre há espaço para erros, certo? Uma anotação errada, um ingrediente que faltou ou foi a mais, e o cliente fica com desgosto. Isso acontece muito quando o atendimento é feito por garçons, mas é inexistente quando é feito via autoatendimento.

Aumento no ticket médio

Devido a todos os pontos acima, o autoatendimento está destinado a aumentar o seu ticket médio.

É uma combinação de todas as vantagens — a facilidade para o cliente, a agilidade que oferece a sua equipe, a rapidez com a qual o pedido vai a cozinha, e claro, a divertida e inovadora experiência ao cliente.

A experiência do usuário no seu restaurante

No mundo dos aplicativos e videogames existe algo chamado “experiência do usuário.” Sem entrar em termos técnicos, trata-se do estímulo visual e sonoro que o usuário recebe ao fazer uso do jogo ou app.

Por exemplo, você conhece o aplicativo Messenger do Facebook, certo? Já notou como esse app é cheio de “barulhos” bonitinhos?

Quando alguém está digitando há um som e uma pequena animação. Quando você envia uma mensagem há um satisfatório “pop!” Quando você atualiza o chat puxando a tela para baixo há um som elástico que imita o seu movimento. É adorável!

Esses detalhes não mudam o que você faz no app, mas eles servem para enriquecer sua experiência. Cada mínima ação é satisfatória de alguma forma imediata, seja com um visual bacana ou um som que reage de acordo — e no fim do dia, esses detalhes são a diferença entre você usar o Messenger ao invés de qualquer outro app que faça a mesma coisa.

Essa mesma lógica se aplica ao autoatendimento no food service.

Você quer que o simples ato de realizar um pedido seja satisfatório por si só — independente do que o cliente pedir. A sensação de personalizar o pedido direto da mesa e saboreá-lo minutos depois é inesquecível. Feito isso, o cliente sabe que para ter essa experiência novamente, precisa voltar ao seu estabelecimento!

O que você achou do post?

5 Respostas

Deixe seu comentário