preparando alimentos veganos

Em maio de 2018, uma pesquisa do IBOPE afirmou que 14% da população brasileira é vegetariana. Os números impressionam: os entrevistados que fazem parte da porcentagem somam cerca de 22 milhões de brasileiros. A mesma pesquisa, que já havia sido realizada em 2012, resultou num crescimento de 6%, em apenas 6 anos.

É importante diferenciar veganismo de vegetarianismo, o que faremos a seguir. Contudo, é fácil perceber: qualquer roda de amigos ou familiares contém uma pessoa adepta a uma dessas dietas.

Aliás, diga-se de passagem, o veganismo não é considerado apenas uma dieta, mas um estilo de vida. Além da exclusão do consumo de qualquer alimento de origem animal, exclui-se todo e qualquer produto que tenha origem animal ou que seja categorizado como resultante da exploração animal – estamos falando de roupas, medicamentos, cosméticos e tantos outros itens.

Antes de repassar as dicas para adaptar seu restaurante para receber bem estes 14% de possíveis novos clientes, iremos destacar as diferenças entre uma e outra dieta, afinal de contas, uma é completamente diferente da outra. Podemos dizer, inclusive, que todo vegetariano comerá pratos veganos, mas nem sempre os veganos consumirão produtos vegetarianos.

Isso porque os vegetarianos costumam excluir das refeições as proteínas animais, desde as mais comuns como a carne de boi, de porco, de frango ou de peixes, até as mais exóticas, como cabra, javali e jacaré, por exemplo. Para eles, o que importa é deixar de consumir qualquer carne de origem animal. Contudo, eles continuam consumindo produtos como ovos, leites e seus derivados, e, até mesmo, o mel – o que não acontece com os veganos.

A dieta vegana é composta, em grande parte por vegetais. Alimentos como massas e queijos são bem específicos, pois não podem conter nada de origem animal. Desta maneira, é importantíssimo, em todos os restaurantes, a identificação clara destes alimentos, para assegurar, com respeito a estes consumidores em potencial, que o seu restaurante está de portas abertas para recebê-los.

Identifique seus Produtos no Cardápio

Este nicho de mercado para o setor alimentício está claro e você não pode deixar de prestar atenção na nova clientela: são muitas as pessoas que se declaram praticantes do vegetarianismo e/ou veganismo. Aliás, muitos restaurantes já sacaram esta moda, o que é facilmente notado nos cardápios, com simbologias específicas para indicar a ausência de glúten (um raminho de trigo), de lactose (uma jarrinha de leite) e, por fim, da origem animal (uma folhinha verde).

Com esta primeira dica, fica claro que você não precisa modificar seu restaurante totalmente, apenas considerar seu próprio cardápio, analisando-o a fundo e demarcando os produtos conforme seus ingredientes.

Contrate um(a) nutricionista

nutricionista vegana

Todo restaurante precisa do serviço deste profissional, até mesmo para elaboração de documentos legalmente requisitados e treinamento da equipe – o que será fundamental nessa fase de transição, uma vez que a novidade precisa ficar bem clara, gerando vendas.

Solicite uma consultoria nesta questão específica quanto aos alimentos que podem ser oferecidos para vegetarianos e para veganos. O profissional da nutrição poderá te ajudar a identificar o que você já possui no cardápio, sem que haja necessidade de reelaborá-lo por completo.

Com o olhar treinado, o nutricionista poderá confirmar os pratos que você já possui em pauta, para que um ou os dois grupos possam consumir em seu estabelecimento. Garanta com profissionalismo o seu produto.

Invista em receitas deliciosas e bem atrativas

Sem grandes mudanças na estrutura do seu estabelecimento e com a inclusão de um cardápio bem atrativo, inusitado até mesmo para o paladar destes 22 milhões de brasileiros, você alcançará um novo grupo. De repente um chef ou mesmo o profissional nutricionista poderá te ajudar nesta elaboração. É hora de estudar e trabalhar a criatividade, pois nem somente de alface essa turma se alimenta.

Capriche na pesquisa de receitas, pois um prato diferenciado atrairá mais que um único cliente vegano ou vegetariano: atrairá toda a turma de conhecidos.

Converse com um vegano e/ou vegetariano

conversar com vegano e vegetariano

Depois de ter passado pelo processo com nossas três dicas acima, é interessante conversar com um cliente de verdade. Encontre-se com um vegetariano e com um vegano. Escute seus pontos, suas dificuldades e suas críticas.

De maneira geral, é sabido que eles passam muita dificuldade na hora de se alimentarem fora de casa e, se você já apresentar algumas dessas soluções que a gente listou acima, certamente eles terão a acrescentar. O que importa, além do produto, afinal de contas, é o serviço.

E qualquer pessoa, não importa qual a sua alimentação, que se sinta acolhida, voltará ao seu estabelecimento.

Com estas dicas, temos certeza, o seu restaurante estará muito bem adaptado a este grupo que só cresce no País. Não se esqueça de divulgar seu produto e treinar a sua equipe para criar um ambiente extremamente aconchegante, onde os seus novos clientes poderão, enfim, sentirem-se acolhidos.