Deliway

7 dicas de como criar um cardápio profissional

O cardápio é o primeiro contato que o cliente tem com o que o seu restaurante tem de melhor a oferecer. Investir em um cardápio profissional é ter a certeza de que o seu cartão de visitas será notado. Saiba agora como construir um cardápio profissional em sete passos.

Criar cardápio

Para criar um cardápio profissional, é preciso pensar em detalhes como a sua estrutura, precificação dos produtos oferecidos, modelos, design e seções que organizam melhor o recurso que serve como cartão de visitas do seu restaurante.

Afinal, nada passa mais credibilidade para um restaurante do que um cardápio bem planejado. Pense que o menu é o primeiro contato que o cliente tem com os produtos que você oferece no seu negócio, então é melhor deixar uma boa impressão, não é mesmo?

Inclusive, qual a imagem que se passa pela sua cabeça quando você pensa nesse assunto? É importante lembrar que, com a modernidade, surgiram alguns outros tipos de menu diferentes daqueles puramente de papel.

O cardápio digital, por exemplo, é uma opção moderna, tecnológica e intuitiva que vem conquistando cada vez mais clientes. Aliás, muitas opções já vêm com um design moderno e padronizado, o que dá um toque profissional ao ambiente.

Pensando em deixar o seu restaurante cada vez mais atrativo, separamos sete dicas essenciais para quem quer elaborar um cardápio profissional.

Confira!

7 dicas de como elaborar um cardápio profissional

Uma das nossas dicas essenciais para criar um cardápio profissional é apostar no seu design. Detalhes como o tipo/estrutura também devem ser pensados, a exemplo da paleta de cores, ilustrações, descrição dos pratos, seções do menu e etc.

O ideal é que o menu tenha o poder de deixar o cliente salivando e na expectativa de provar todas as opções disponíveis. No entanto, isso não quer dizer que ele deve apenas conter cores que aticem o apetite e outros elementos exagerados no seu design. Muito pelo contrário!

Muitas vezes, menos informações visuais o tornam muito mais atrativo do que apostar em cores em excesso, além de formas e figuras exageradas.

E, para quem quer oferecer um bônus à clientela, mostramos que é possível modernizar e tornar mais interativo todo o processo de escolha de um produto.

Vamos, então, às sete dicas que deixarão o cardápio do seu restaurante super profissional.

1.  Escolha um modelo de cardápio que combine com o seu restaurante

Você sabia que há vários modelos dentre os quais você pode optar para oferecer a melhor experiência ao público do seu restaurante?

Conheça os modelos de cardápio mais comuns para restaurante:

  • estilo folheto;
  • sustentável/ecológico;
  • modelo prancheta;
  • de parede; e
  • digital.

As três primeiras opções são ideias mais tradicionais que seguem o modelo físico, pois são compostas por papel.

Já as outras duas opções são alternativas mais modernas. O cardápio de parede aproveita o espaço físico para dar vida ao menu, que deve estar sempre ao alcance dos olhos do público, enquanto o modelo digital é uma alternativa mais moderna e interativa para que o cliente faça a sua escolha no seu próprio tempo.

Pensar no perfil do seu restaurante na hora de escolher o modelo ideal é crucial para dar um tom mais profissional ao menu. Imagine um grande restaurante fast-food com cardápio-folheto. Não combina muito, não é mesmo?

2.  Planeje bem o design

Quando falamos em design, não estamos nos referindo somente à estrutura, molduras e fotos. Há muito mais por trás de um bom design. A escolha de uma boa paleta de cores para um restaurante, por exemplo, é essencial.

São várias as combinações que podem ser feitas: cores análogas ou complementares podem causar efeitos bem diferentes e cabe analisar todas as opções antes de decidir pela paleta oficial de cores do seu restaurante.

A fonte também é algo a se pensar: nada de escolher fontes cursivas bonitas que dificultem a leitura por conta do tamanho. Escolha fontes padronizadas que facilitem a visualização e a escolha do cliente.

Dito isso, também precisamos falar sobre algo importante no design: a poluição visual. Ninguém gosta de encarar um cardápio cheio de informações desnecessárias e fotos desorganizadas. Por isso, às vezes, ser minimalista é a melhor saída.

Ser conciso e dar informações breves e diretas é a melhor forma de poupar tempo, tanto o seu quanto do cliente.

3.  Capriche nas fotos

As fotos dos pratos são responsáveis por boa parte das vendas, já que, quando o cliente não conhece determinado item do menu, é pela foto que ele identifica o prato. É o famoso “conquistar pelo olho”. Por isso, apostar em fotos de boa qualidade é tão importante nesse momento.

Essa estratégia é uma boa ideia para deixar o cliente com água na boca e optar por determinados pratos mais rentáveis.

Entretanto, não pense que uma foto tirada com o celular é digna de estampar o menu profissional do seu restaurante.

O ideal é que você contrate um fotógrafo profissional especializado em fotos de alimentos. Afinal, esse é um investimento que certamente irá gerar retorno ao caixa do negócio.

4.  Descreva os itens

Tanto quanto as fotos, a descrição dos itens é uma parte muito importante na construção de um menu profissional.

Muitos clientes não conhecem o prato pelo nome, seja porque é um nome específico de um item criado pelo chef do seu restaurante ou porque não é comum ao consumidor, por isso as descrições são indispensáveis.

A criatividade é um ponto essencial aqui.

Você pode descrever os pratos pelos ingredientes ou falar um pouco sobre o modo de preparo do prato. Acrescentar adjetivos que despertem emoções no consumidor é uma boa ideia.

Olha só esse exemplo:

Macarrão à carbonara:
Delicioso espaguete cremoso com bacon crocante, salsinha fresca, ovos batidos e queijo parmesão.

Palavras como “delicioso”, “cremoso” e “crocante” podem despertar sensações para o paladar do cliente antes mesmo que os pratos sejam provados.

Além disso, essas descrições que apelam para as sensações gustativas também mostram o cuidado no preparo tanto das refeições quanto na confecção do cardápio.

Falando em cuidado, as descrições também são muito úteis para informar o consumidor do uso de ingredientes que podem desencadear reações alérgicas para quem é intolerante a certos alimentos, como peixes, leites e ovos. Elas também podem sinalizar opções vegetarianas e veganas para os clientes que optam por uma dieta sem carne.

5.  Faça um cálculo rígido quanto aos preços

Calcular os preços do cardápio é uma das partes mais importantes da elaboração de um menu profissional. Isso porque, além de o preço dos itens ditar o retorno financeiro que o restaurante terá, há que se pensar no pagamento dos funcionários e despesas fixas e variáveis do restaurante.

Afinal, o preço de um prato inclui muito mais que o preço dos ingredientes. De nada adianta oferecer preços lá embaixo quando você não recebe retorno no negócio, não é mesmo?

O ideal é que você tenha um bom sistema ou organização financeira. Contas como o pagamento dos fornecedores, funcionários e despesas do restaurante devem ser incluídas nos preços dos pratos para que você não saia no prejuízo.

Por isso, monte uma estrutura de custos que envolva todos esses fatores. A partir dela, é possível estipular o preço de custo para cada item e também a margem de lucro esperada. Dessa forma, é possível prever todos os custos de operação e você não tem surpresas na hora de fechar o caixa.

Contar com uma ficha técnica de preparação de alimentos também pode ajudar a reduzir desperdícios, o que, consequentemente, também diminui as despesas com os ingredientes necessários para a preparação dos pratos.

Calendário Mensal com Idéias de Postagens

Planilha enviada com sucesso!

Enviamos para o seu e-mail a planilha com Calendário Mensal com idéias de postagens.

6.  Divida o cardápio em seções

As seções servem para organizar melhor as opções, fazendo com que o cliente observe de maneira mais categorizada os itens disponíveis ou para que possa, até mesmo, ir direto ao ponto.

Afinal, nada melhor do que contar com um documento bem planejado na hora de escolher uma refeição.

Por isso, uma boa dica é dividir o cardápio em seções gerais, por exemplo:

  • entradas/aperitivos;
  • pratos principais;
  • sobremesas; e
  • bebidas.

Depois, é possível organizar mais algumas categorias dentro dessas seções, como separar os pratos principais entre saladas, massas ou carnes, ou até mesmo o cardápio de bebidas em destilados, drinks, vinhos, sucos e afins.

O ideal é que as categorias possam ajudar o consumidor a encontrar a opção desejada mais facilmente.

Essa é uma questão abordada também na engenharia de cardápio, que posiciona as opções de acordo com a lucratividade dos pratos e chance de escolha por parte dos consumidores.

Interessante, não é? E você sabia que, com um bom planejamento, é possível até mesmo aumentar o ticket médio do seu restaurante? Afinal, ele é o cartão de visitas do seu negócio e, se for bem pensado, pode levar os clientes a consumirem mais.

7.  Inove o seu menu: conheça o cardápio digital

O cardápio digital tem sido uma opção cada vez mais vantajosa para donos de restaurante. Além de dar uma cara mais profissional e tecnológica ao negócio, o próprio cliente tem autonomia para escolher os pratos, analisar as fotos do menu, descrição de cada item e ainda fazer o pedido e fechar a conta pelo próprio sistema.

Já pensou em reunir todas as dicas anteriores em um recurso moderno e intuitivo que reúne todas as funcionalidades mencionadas com apenas um toque na tela?

Para o empreendedor, a vantagem é poder contar com uma equipe reduzida, já que os garçons seriam responsáveis apenas pela entrega dos pratos com esse modelo de menu. Além disso, não há custos com atualização de cardápio!

Ainda é possível adicionar novos pratos ou até promoções programadas. Tudo isso é feito através da interface do sistema, de modo simples e rápido. Também é possível marcar itens como esgotados, e a opção desaparece do menu até que o gestor determine que há estoque novamente.

A OiMenu oferece duas modalidades de cardápio digital: o cardápio por tablet, instalado na mesa do cliente, e o modelo Pocket, que funciona como um cardápio por QR Code, por meio do qual o cliente faz todo o pedido através do próprio celular.

Nos dois modelos, é possível criar um menu online, com design planejado nas cores do restaurante e até mesmo inserir uma logo e fotos dos pratos. O gestor também tem acesso a relatórios sobre os pedidos e os clientes podem avaliar o restaurante diretamente pelo sistema.

Esse é um bônus para quem quer contar com modernidade aliada a uma ideia mais profissional para restaurantes. Aliás, o cardápio digital é econômico, já que o investimento se paga em pouco tempo e o menu não precisa mais ser reimpresso com frequência para atualização.

No fim das contas, ele ainda se torna um atrativo para conquistar cada vez mais clientes para o seu negócio.

Transforme o seu cardápio em uma poderosa ferramenta de vendas

Ebook enviado com sucesso!

Agora você pode ler este ebook sempre que quiser. Agradecemos o interesse.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário
CONHEÇA O OIMENU